top of page
  • gucafi

Comandos Úteis para Informix




1.1 – oninit

O comando oninit é exclusivo para inicialização da instância.

oninit

1.1.1 – oninit -v

Subir banco de dados (-v = modo verbose)

oninit -v



1.2 – onmode

Estes comandos são os principais dentro do Informix, eles derrubam a instância ou sessões de usuários dentre outras operações


1.2.1 – onmode -ky

Derrubar banco de dados (k = shutdown, y = resposta yes para tudo).

onmode -ky


1.2.2 – onmode -sy

Tornar o banco quiescent (s= quiescent, y = resposta yes para tudo).

onmode -sy


Esta opção se usa para manutenção do banco, ele torna inacessível para todos usuários exceto para o usuário informix, podendo alterar chunks, restaurar archivelogs, entre outras operações de manutenção.


1.2.3 – onmode -ulcky

Encerra as transações correntes no banco e após derruba o banco de dados.

onmode -ulcky


1.2.3 – onmode -z SESSIONID

Este comando encerra uma transação específica do banco de dados.

O SESSID deve ser substituído pelo Session ID obtido através do comando onstat -u.

onmode -z SESSIONID



1.3 – onstat

Todos os comandos de gerenciamento do Informix estão nas opções do Onstat. Este é o comando de status dos bancos de dados.


1.3.1 – onstat -

Mostra o status do banco de dados.

A primeira parte da saída identifica a versão do servidor SGDB, a segunda parte identifica o status do servidor:

O status do servidor Informix pode assumir um dos seguintes valores:

• Initialization

• Shutting Down

• Quiescent

• OnLine

• Fast Recovery

• Abort

• Archive Backup

• Unknown

• Read-Only


Na parte final das informações são fornecidos o tempo que o servidor está ativo (em algum dos estados acima), seguido pelo tamanho total dos segmentos da shared memory (resident + virtual) utilizado pelo servidor em Kbytes.


Caso o banco não esteja em execução, será exibida a seguinte mensagem:

Onde “ol_standard” é a instância onde o comando foi executado.



1.3.2 – onstat -d

Mostra os chunks (arquivos físicos e lógicos para armazenamento do Informix) dando tamanho, espaços utilizados, dbspaces.

onstat -d


1.3.3 – onstat -u

Tem como principal objetivo, mostrar os usuários conectados no banco, fornecendo o ID para consulta de monitoramento e ação (exemplo, verificar a query executada).

onstat -u

A listagem é gerada, com a legenda de cada campo na parte superior:



Pode ser combinada com os comandos de Linux “| grep” para realizar um filtro.

A exemplo:


onstat -u | grep USUARIO

Outro filtro que pode ser executado, são pelas sessões com lock ativo.

A coluna flags, o primeiro digito trata-se de do processo em execução.

Caso o mesmo esteja com a letra “L” (em maiusculo), significa que este processo está travado por algum outro processo.

Pode-se verificar a listagem de sessões travadas com o comando:


onstat -u | grep L

Na imagem acima, verificamos que existe apenas um usuário com sessão travada por conta de outro processo.


Sendo assim, caso necessário, este processo pode ser eliminado com o comando

onmode -z 56847

Onde o 56847 é o SessionID



Existem outros parâmetros que podem ser utilizados com este comando. Pode ser consultado no site oficial da IBM para Informix.


1.3.4 – onstat -p

O comando onstat -p fornece informações estatísticas que se acumulou desde a inicialização (uptime) ou o último onstat –z

Este comando é utilizado para verificar informações como o cache de leitura e gravação do banco, número de páginas gravadas no disco, número de bloqueios dentre outros.


1.3.5 – onstat -m

O comando onstat-m exibe as últimas 20 linhas do log do servidor SGDB Informix, que é especificado pelo parâmetro MSGPATH no arquivo de configuração.

Ou seja este comando traz a visualização do arquivo de log que grava todas as informações sobre o que está ocorrendo no SGDB, como checkpoints, erros etc..

onstat -m

1.3.6 – onstat -g

O comando onstat-g fornece informações sobre transações. Para utilizá-lo, devem ser adicionados alguns parâmetros específicos para cada situação.


Um dos parametros utilizados é o SESSION ID, que pode ser obtido através do comando “onstat -u”.


Neste caso, a sintaxe do comando é:

onstat -g ses SESSIONID

Usando um exemplo:

onstat -g ses 73

A saída do comando será:

Na tela, são exibidos todos os dados referente a sessão informada no parâmetro.


1.3.7 – onstat -z

Comando para zerar as informações estatísticas da instância ativa, ou seja recriar as estatísticas, a atualização de estatísticas após um tempo pode começar a não ter mais o mesmo efeito ou até demorar mais do que o necessário, uma estratégia é recriar as estatísticas.

É possível verificar a última vez que as estatísticas foram zeradas, através de uma consulta as tabelas de catálogo do INFORMIX do banco SYSMASTER.

Para isto, execute a seguinte consulta usando o banco SYSMASTER:

select dbinfo ("utc_to_datetime", sh_pfclrtime) from sysmaster:sysshmvals


1.3.7 – onstat -k

Exibe os atuais bloqueios (LOCK) em objetos de banco de dados mantidos dentro do sistema. O tipo de travamento e quanto tempo eles são mantidos é determinada pelo modo de registro de dados, níveis de isolamento e design do aplicativo.


1.4 – oncheck

O comando oncheck é usado para verificação de integridade do banco de dados.


1.4.1 – oncheck -cR

Este comando verifica a consistência das páginas reservadas. As páginas reservadas são usadas para rastreio e controle de informações de configuração para toda a instância.

oncheck -cR

1.4.2 – oncheck -ce

Este comando verifica a consistência das extensões dentro do servidor de banco de dados. Uma extensão é uma área contígua de disco que armazenam dados, dados de índice ou dados blob para uma tabela específica. O utilitário oncheck garante que todas as extensões e espaço livre no servidor de banco de dados, correspondem às suas informações de controle associados. Este comando normalmente irá levar alguns minutos para executar. A quantidade exata de tempo é proporcional à quantidade de espaço em disco que é alocada para a instância do banco de dados.

oncheck -ce

ATENÇÃO: Este comando pode impactar no desempenho quando executado em um sistema em produção.


1.4.3 – oncheck -cc

Este comando verifica a constância das tabelas do catálogo do sistema do qual há um conjunto para cada banco de dados dentro da instância. Essas tabelas armazenam dados essenciais sobre o banco de dados, tais como esquema de banco de dados (schema). Este comando normalmente irá levar alguns minutos para executar.

A quantidade precisa de tempo é proporcional ao número de bancos de dados na instância. Antes de executar oncheck -cc execute um UPDATE STATISTICS de instrução SQL para assegurar que uma verificação exata ocorra. Para conferir uma tabela, o oncheck compara cada tabela do catálogo do sistema para a sua entrada correspondente na tblspace.

oncheck -cc

ATENÇÃO: Este comando pode ter pouco ou nenhum impacto no desempenho quando executado em um sistema em produção.


1.4.4 – oncheck -ci

Os comandos oncheck -ci e o oncheck -cI são utilizados para verificar a ordenação de valores-chave e da consistência das ligações horizontais e verticais do nó para todos os índices associados à tabela especificada. Em suma, verifica como estão os índices.

Se oncheck-ci ou oncheck-CI detecta inconsistências, ele solicita confirmação para reparar o índice problemático. Pode ser usado com o parâmetro “-y” (yes), assim, os índices serão automaticamente reparados.

Pode também ser usado com o parâmetro “-n” (não), desta forma, o problema é relatado, mas não será reparado. Nenhum aviso será exibido.


Se oncheck não encontrar inconsistências, a seguinte mensagem aparece:

“validating indexes......”


Se os índices são fragmentados em várias partições no mesmo dbspace, os comandos “oncheck-ci” e “oncheck -ci” mostrar os nomes das partições.


No exemplo abaixo, faremos a análise da tabela “tsevencs” do banco “sisdia”.

Neste caso, mostra a saída típica de um índice que tem fragmentos em várias partições no mesmo dbspace:


Para realizar a verificação de uma tabela específica, utilize o comando:

oncheck –ci banco:tabela

Neste exemplo:

oncheck –ci sisdia:tsevencs


Lembrem-se, usem estes comandos com responsabilidade.

164 visualizações0 comentário

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page